Rallye Serras de Fafe

Escrito el 25/02/2019
Rali Serras de Fafe

Dani Sordo e Carlos del Barrio, em Hyundai i20 R5, passearam a classe na 32.ª edição do Rali Serras de Fafe, vencendo 13 das 14 classificativas que compuseram a prova da Demoporto, que percorre algumas das mais emblemáticas especiais dos ralis mundiais para todos os aficionados, sendo que, para muitos, portugueses e estrangeiros, são mesmo as mais espetaculares sem qualquer contestação.

As dezenas de milhares de entusiastas espetadores que acompanharam o rali ao longo destes dois dias são disso mesmo bem demonstrativos.

E se a prova não teve história nem por um segundo no que ao vencedor absoluto diz respeito, cedo na manhã do segundo dia deixou de ter relativamente ao vencedor para as contas do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR). Ricardo Teodósio, navegado por José Teixeira no Skoda Fabia R5, cedo superou a dupla Ricardo Moura/Antonio Costa, em carro idêntico, e foi consolidando a vantagem de forma consistente ao longo de todo o sábado, garantindo um merecido triunfo, já em modo de gestão na ponta final.

Moura perderia ainda mais uma posição, para Miguel Barbosa e Paulo Babo, noutro Skoda Fabia R5, enquanto José Pedro Fontes, no saudado regresso de Inês Ponte ao banco direito do Citroën C3 R5 oficial, fazendo uma prova de trás para a frente, acabou por garantir um positivo quarto lugar para o CPR, posição conquistada, no derradeiro troço, à dupla Bruno Magalhães/Hugo Magalhães, em Hyundai i20 R5 oficial.

O outro i20 oficial, pilotado por Armindo Araújo e navegado por Luís Ramalho, foi sétimo, mas o campeão nacional em título teve o mérito de ter sido o único piloto capaz de bater Dani Sordo num troço (passagem por Montim), oscilando entre o excelente e o não tão bom, com dois percalços que o arredaram da luta pela vitória no CPR. Mesmo assim, o piloto de Santo Tirso gostou do ritmo que conseguiu impor e reconheceu ter um carro muito competitivo.

As duplas Alberto Heller Ancarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5) e Pedro Almeida/Alberto Silva (Skoda Fabia R5) completaram, por esta ordem, o lote dos dez primeiros classificados.

Uma nota final para a excelente prova de Pedro Antunes e Paulo Lopes, em Peugeot 208 R2, que lhes valeu a vitória entre os carros de duas rodas motrizes e também o triunfo na ronda inaugural da Peugeot 208 Rally Cup Ibérica 2019, liderando da primeira à última especial.

Declarações no final da prova

Dani Sordo, vencedor da 32.ª edição do Rali Serras de Fafe

“A Prova correu bem, estamos contentes. Fizemos um bom treino, com bom ritmo, o que, afinal, era o que essencialmente pretendíamos."

“Já há muito tempo que aqui tentávamos vencer, porque é um rali de que eu gosto muito, independentemente de ser algarvio e de esta prova se realizar em Fafe, bastante longe. Sempre gostei desta prova e tinha como objetivo vencê-la um dia. Hoje foi esse dia. O campeonato, este ano, está muito competitivo, acho que é um dos mais competitivos de sempre, e foi muito bom vencer aqui, perante todos os nossos adversários, porque são todos bons, vários campeões nacionais. No ano passado, quando acabámos de perder o nosso rali, lá em baixo em casa, disse, para o ano, vamos ganhar a Fafe. E graças a Deus e a toda a equipa, a ARC e os meus patrocinadores, conseguimos a nossa primeira vitória em 2019."

PE13-Luílhas 2 – Sordo impõe-se na derradeira PE e vence sem contestação

Ricardo Teodósio, em ritmo de grande gestão na última classificativa, garantiu a vitória para o CPR no Rali Serras de Fafe. Por seu turno, Miguel Barbosa segurou o terceiro lugar à geral com autoridade, ao perder apenas 1,9s para Dani Sordo, batendo Ricardo Moura por três segundos.

A grande reviravolta entre os dez primeiros protagonizaram-na Bruno Magalhães e José Pedro Fontes, com este último a superar o lisboeta na luta pela quarta posição do CPR e quinta da geral. Fontes entrou com 3,7 segundos de atraso para a PE13 e concluiu a prova com menos 2,7 segundos do que Magalhães.

O resto do top 10 manteve-se inalterado, tal como o triunfo entre os carro de duas rodas motrizes, competição particular dominada de início a fim por Pedro Antunes, em Peugeot 208 R2 da Raly Cup Ibérica.

Classificação final oficiosa: 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 1h27m57,7s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 1m14,0s; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 1m24,4s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1m29,5s; 5.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m56,8s; 6.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m59,5s; 7.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 2m29,5s; 8.º Alberto Heller Ancarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 2m33,4s; 9.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 3m13,0s; 10.º Pedro Almeida/Alberto Silva (Skoda Fabia R5), a 3m40,8s…

PE12-Montim 2 – Dani Sordo Para não variar

Disputada a penúltima especial do Rali Serras de Fafe 2019, Dani Sedo voltou o a ser o mais rápido e praticamente o único foco de atenção que resta é a luta cerrada pelo terceiro lugar à geral, segundo para o CPR, entre Miguel Barbosa e Ricardo Mouro. O açoriano entrou de «faca na liga» e perdeu apenas meio segundo para Sordo, mas Barbosa não quis deixar por menos, e cedeu somente um segundo, deixando a diferença entre ambos nos 2,1s. A luta promete até final.

No restante, relativamente aos dez da frente, a tabela parece consolidada, com um Ricardo Teodósio já mais comedido mas ainda muito rápido a ter a vitória praticamente assegurada no CPR, acontecendo o mesmo relativamente a Pedro Antunes na Peugeot 208 Rally Cup Ibérica e nas duas rodas motrizes.

Classificação após PE12: 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 1h20m22,2s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 59,0; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 1m22,5s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1m24,6s; 5.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m49,5s; 6.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m53,2s; 7.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 2m20,8s; 8.º Alberto Heller Ancarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 2m23,5s; 9.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 3m00,3s; 10.º Pedro Almeida/Alberto Silva (Skoda Fabia R5), a 3m25,8s…

Ricardo Teodósio, líder do CPR

“Agora vamos ter de tentar gerir estes segundos que temos de avanço, que já são alguns, e vamos continuar a andar com uma toada viva, mas com atenção, porque os quase 27 segundos de avanço que temos é muito tempo para perder em dois troços. O objetivo é tentar ganhar para o CPR, o que seria uma vitória saborosa aqui em Fafe, porque há muitos anos que me está atravessada. Venci há dois anos para o Grupo N, mas não tonha hipóteses contra os R5 e mesmo assim fizemos um quinto lugar à geral que considero muito positivo. Agora, com um R5 e com a experiência de dois anos, conseguimos um bom set-up no carro e estamos com muita confiança, como se pode ver pelo resultado até agora”.

Armindo Araújo, vencedor da PE10

“Esta tarde está tudo a correr bem, para além de vencermos um troço à geral, vencemos mais dois para o CPR, o que significa pontos importantes (cinco pontos a dividir entre os vencedores dos troços). Estamos com a estratégia correta, com o ritmo correto, foi pena os dois percalços da manhã, que são inexplicáveis e que por vezes acontecem. Tirando isso, estamos com bom ritmo e o carro é muito competitivo. Estamos muito contentes”.

PE11 - Luílhas 1 (10,84 km) – Sordo volta a vencer

Armindo Araújo voltou a apresentar-se a um ritmo muito elevado, mas desta vez já não foi suficiente para o andamento do espanhol, que o bateu por 2,7 segundos. O piloto de Santo Tirso conseguiu subir todavia um lugar na classificação geral, para sétimo, por troca com Alberto Ancarola.

Ricardo Teodósio continuou por sua vez a consolidar a liderança das contas do CPR, ao mesmo tempo que Ricardo Moura se vai paulatinamente aproximando do terceiro lugar de Miguel Barbosa, a quem conseguiu ganhar mais um 1,5s, fixando a desvantagem relativamente ao piloto lisboeta em apenas 2,6s.

Nas duas rodas motrizes continua a marcha cada vez mais triunfal de Pedro Antunes, que lidera também a Peugeot 208 Rally Cup Ibérica.

Classificação após PE11: 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 1h14m27,0s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 54,6; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 1m21,5s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1m24,1s; 5.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m45,3s; 6.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m50,9s; 7.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 2m14,6s; 8.º Alberto Heller Ancarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 2m18,0s; 9.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 2m50,8s; 10.º Pedro Almeida/Alberto Silva (Skoda Fabia R5), a 3m18,6s…

PE10 - Montim 1 (8,52 km) – À 11.ª foi de vez: Armindo retira hegemonia a Sordo

Foi só por segundo e meio, mas foi o suficiente para Armindo Araújo quebrar a hegemonia de Dani Sordo e vencer uma classificativa neste Rali Serras de Fafe. O tirsense teve alguns problemas, nas classificativas até aqui disputadas, no Hyundai, mas em condições normais está a ser consistentemente rápido.

Não tão bem esteve Miguel Barbosa, que perdeu cerca de 11 segundos para Armindo, fruto de um tête, mas na classificação geral, não houve alterações de monta entre os da frente, tal como nas duas rodas motrizes, competição particular na qual Pedro Antunes tem vido a evidenciar confortável domínio desde os primeiros quilómetros da prova.

A nota saliente, pela negativa, no top 10, tocou a Pedro Meireles, forçado ao abandono depois da caixa de direcção ter cedido, na estreia do VW Polo GT R5.

Classificação após PE10: 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 1h06m48,5s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 48,8; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 1m13,8s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1m17,9s; 5.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m33,6s; 6.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m40,8s; 7.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 2m05,6s; 8.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 2m14,6s; 9.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 2m29,8s; 10.º Pedro Almeida/Alberto Silva (Skoda Fabia R5), a 3m01,09s…

Ricardo Teodósio, líder do CPR após a segunda secção de sábado

“Temos vindo a ficara cada vez mais à vontade com o carro. Testámos bastante, antes da prova, fizemos o nosso trabalho de casa e penso que está aqui demonstrado, até agora, o fruto desse mesmo trabalho. Estamos confiantes, mesmo se no segundo troço da segunda secção de hoje (S. Pedro 2) tivemos muitos problemas de tração, porque a gravilha estava muito solta. Para este último da manhã, fizemos algumas alterações na direção e na pressão dos pneus e isso resultou numa grande diferença para melhor e já andámos a sério. Mas penso que ainda é possível melhorar um bocadinho."

PE9 - Aboim/Rio Vizela 2 – Mais do mesmo

Dani Sordo e Carlos del Barrio venceram a décima em dez e Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5) parecem estar já a gerir a lideranças relativamente confortável de cerca de 20 segundos sobre Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), nas contas do CPR.

Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5) regressaram aos bons «cronos» e tudo correu dentro da normalidade entre os dez primeiro e também nas duas rodas motrizes, com Pedro Antunes a dar a ideia de controlo da situação nesta luta particular.

Classificação após PE8: 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 1h00m49,7s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 44,7; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 1m04,2s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1m19,9s; 5.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m27,7s; 6.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m36,1s; 7.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 2m00,4s; 8.º Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTI R5), a 2m09,1s; 9.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 2m16,1s; 10.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 2m21,0s…

PE8 - S. Pedro 2 – Mais problemas para Armindo em nova vitória de Sordo

Na frente nada de novo: Dani, Dani, Dani!...

Armindo Araújo, em sentido inverso, depois dos problemas de acelerador no Hyundai i20 R5, fez um pião e não conseguiu engrenar a marcha atrás, tendo pedido muito tempo com a manobra. Resultado: 47,7s perdidos para o vencedor, o 30.º posto na classificativa e a queda para décimo da geral.

Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5) foram desta feita os segundso classificados, imediatamente à frente de Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), que continuam a liderar o CPR. De resto, excluindo o atraso de Armindo Araújo, quase nada mudou entre os dez primeiros, sendo que nas duas rodas motrizes se mantinha o domínio de Pedro Antunes e Paulo Lopes (Peugeot 208 R2).

Classificação após PE8: 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 53m23,3s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 38,5s; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 58,5s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 1m03,0s; 5.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m14,8s; 6.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m28,5s; 7.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 1m42,5s; 8.º Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTI R5), a 1m59,7s; 9.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 2m07,0s; 10.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 2m08,8s…

PE7-Ruivães 2 – E o vencedor foi… Sordo!

Sucedem-se as classificativas, mas na frente de cada uma nada muda: Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5) e um recital de condução. Azar tiveram Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a quem uma avaria no acelerador do Hyundai oficial provocou um enorme perda de tempo, 33,5s para Sordo.

Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5) continuaram a consolidar a segunda posição e a liderança no Campeonato de Portugal de Ralis, enquanto Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5) começaram igualmente a limitar o dano, aproximando-se perigosamente do regresso ao terceiro posto, que continuou nas mãos de Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), mesmo se apenas por três décimas.

Nas duas rodas motrizes e entre os Peugeot do Troféu, Pedro Antunes e Paulo Lopes (Peugeot 208 R2) continuaram igualmente a dar o mote, numa liderança razoavelmente tranquila.

Classificação após PE7: 1.º 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 47m21,7s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 35,8s; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 56,8s; 4.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 57,1s; 5.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m10,4s; 6.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 1m21,1s; 7.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m25,5s; 8.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 1m34,8s; 9.º Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTI R5), a 1m53,3s; 10.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 1m56,6s…

Armindo Araújo no final da primeira secção de sábado

O piloto de Santo Tirso fez uma manhã ao ataque. “Fez parte da estratégia delineada ontem (sexta-feira), que foi algo arriscada, porque perdemos deliberadamente tempo para sairmos um pouco mais atrás na ordem na estrada de hoje. Só que com isso criámos um grande fosso para os nossos adversários da frente, pelo que hoje temos de andar a fundo. É o que estamos a tentar fazer, sem cometer erros. Obviamente que há muita pressão, mas até agora o rali tem-nos corrido bem e temos conseguido fazer o que pretendíamos, mesmo se a prova nem a meio chegou. Se conseguirmos manter este ritmo até ao fim, será muito bom."

PE6-Aboim/Rio Vizela 1 (10,32 km) – Sete em sete para o piloto espanhol

O «furacão» Dani Sordo e Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5) continuam a andar na frente nas Serras de Fafe, mas, desta vez, Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5) quase conseguiam «meter uma lança em África», já que perderam apenas três décimas para o espanhol. Já Ricardo Moura e António Costa (Skoda Fabia R5), esses sim a sentir os efeitos de ser o segundo na estrada, continuam a cair na classificação geral e de uma assentada, perderam duas posições, uma para Miguel Barbosa Paulo Babo (Skoda Fabia R5) em terceiros e outra para Armindo Araújo e Luís Ramalho (Hyundai i20 R5) que são quartos.

Entretanto, Pedro Antunes continua a liderar as duas rodas motrizes e a Peugeot Rally Cup Ibérica, ocupando a 22.ª posição da geral, a 4m34,5s de Dani Sordo

Classificação após PE6: 1.º 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 41m23,3s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 31,7s; 3.º Miguel Barbosa/Paulo Babo (Skoda Fabia R5), a 46,6s; 4.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 47,6s; 5.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 49,9s; 6.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 1m02,9s; 7.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m16,1s; 8.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 1m26,9s; 9.º Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTI R5), a 1m46,0s; 10.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 1m48,9s…

PE5-S. Pedro 1 (8,02 km) – Ainda Sordo

Abrir os troços é naturalmente um handicap, mas parece que ninguém avisou Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), que continuam a ganhar especial atrás de especial, dilatando a vantagem para os adversários «crono» após «crono». Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5) lancaram o ataque que os levou a serem apenas quatro décimas de segundo mais lentos do que a dúpla espanhola.

Entretanto, para Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), serem os segundos na estrada parece estar a revelar-se realmente um handicap e Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5) reforçaram o segundo lugar à geral, mesmo se Armindo Araújo, Miguel Barbosa/Paulo Babo e Alberto Heller/José Luís Diaz ficaram, por esta ordem, à sua frente na especial.

Bruno Magalhães, navegado por Hugo Magalhãs, queixava-se que os problemas sentidos no diferencial dianteiro, no primeiro dia, ainda não estavam resolvidos.

Mesmo assim, embora com aproximações temporais entre alguns concorrentes, a classificação geral não sofreu alterações entre as dez primeiras duplas.

Classificação após PE5: 1.º 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 33m57,7s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 31,4s; 3.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 39,4s; 4.º Miguel Barbosa/Paulo babo (Skoda Fabia R5), a 41,2s; 5.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 45,4s; 6.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 56,6s; 7.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 1m06,4s; 8.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 1m13,4 s; 9.º 10.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 1m34,2s; 10.º Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTI R5), a 1m38,4s…

PE4-Ruivães 1 (9,65 km) – Sordo continua a dominar

A derradeira etapa do Rali Serras de Fafe, disputada este sábado, começou com o mote da véspera e nem o facto de abrir a estrada, limpando o terreno para todos os restantes concorrentes, impediu Dani Sordo e Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5) de manterem a hegemonia do primeiro dia.

De facto, o piloto espanhol continua a não dar quaisquer chances à concorrência e deixou os mais diretos rivais na classificativa, Armindo Araújo e Luís Ramalho, a mais de cinco segundo, aumentando a vantagem à geral para 25,6 segundos sobre os segundos classificados, Ricardo Teodósio e José Teixeira (Skoda Fabia R5).

O algarvio foi aliás o terceiro classificado em Ruivães 1, imediatamente à frente dos espanhois Alberto Heller Alacarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta R5) e de Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), que foram quintos, caindo para o terceiro lugar à geral, por troca com Teodósio.

Pedro Antunes e Paulo Lopes (Peugeot 208 R2) mantêm-se como os melhores nas duas rodas motrizes e comandam a Peugeot Rally Cup Ibérica.

Classificação após PE4: 1.º 1.º Dani Sordo/Carlos del Barrio (Hyundai i20 R5), 27m51,0s; 2.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 25,6s; 3.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 28,4s; 4.º Miguel Barbosa/Paulo babo (Skoda Fabia R5), a 36,5; 5.º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), a 45,0s; 6.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 49,7s; 7.º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5), a 58,1; 8.º Alberto Heller Acarola/José Luís Diaz (Ford Fiesta RC2), a 1m08,1s; 9.º Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTI R5), a 1m08,4s; 10.º Pedro Heller Ancarola/Marc Marti Moreno (Ford Fiesta R5), a 1m24,6s…

Declarações dos três primeiros no final do primeiro dia.

Dani Sordo - 1º classificado, 21m58,2s
"A primeira secção correu bem. Amanhã é um dia longo, com muitos quilómetros, e como saímos primeiro temos que limpar um pouco a estrada."
"Viemos para desfrutar e ganhar algum ritmo antes do Rali do México. O facto de estar em primeiro não é muito positivo, porque haverá um pouco mais de gravilha nos troços e temos que limpar a estrada. Mas vamos tentar o melhor e divertir-nos."

 

Ricardo Moura - 2º da geral, 1º Português a 18.1s
"Acho que tenho uma margem boa para evoluir. Tive algum tempo sem competir e é difícil espremer tudo e há sempre alguma falta de ritmo, alguma falta de atitude em determinadas zonas dos troços. Acho que, no fundo, o meu ritmo é bom mas, dentro da especial, tenho altos e baixos e tenho dificuldade em ser consistente mas estou satisfeito. Está a ser um rali sem grandes problemas, com algumas dificuldades comuns a toda a gente, com falta de grip, mas está a correr bem."

 

Ricardo Teodósio - 3º da geral, 2º Português a 19.6s
"Fomos muito rápidos, nós vínhamos muito rápidos também na primeira (passagem) mas infelizmente fiz um tete e fiquei de frente para uma barreira com uma pedra nas costas e o carro não queria pegar. Perdemos cerca de 11 segundos o que, tirando ao tempo que fizemos, eramos segundos a 2 segundos e pouco do Sordo. O que era muito bom. Não deu. Para a segunda passagem fomos com a mesma toada da primeira e conseguimos ficar atrás do Sordo 3,8s o que é bom.
Ganhamos à geral entre os portugueses que é o que interessa e agora ganhei outra vez as duas especiais, o que é muito bom. Amanhã temos que manter esta toada e continuar a atacar."

 

Campeonato de Ralis Norte

Miguel Teixeira e Vítor Pereira, em BMW E30, venceram o Rali Serras de Fafe pontuável para o Campeonato Norte de Ralis, prova que foi liderada por Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves até à desistência, na especial Aboim Rio Vizela, devido à cedência da caixa de velocidades do Mitsubishi Lancer Evo IX. As duplas João Castela/Maikel Rodrigues (Peugeot 208 R2) e Jorge Ribeiro/Daniel Pereira (Citroën C2 R2) completaram o pódio.

Classificação final oficiosa: 1.º Miguel Teixeira/Vítor Pereira (BMW E30), 40m28,4s; 2.º João Castela/Maikel Rodrigues (Peugeot 208 R2), a 17,3s; 3.º Jorge Ribeiro/Daniel Pereira (Citroën C2 R2), a 55,0s; 4.º Eugénio Madureira/ António Duarte (Mitsubishi Carisma GT), a 1m21,0s; 5.º José Ribeiro da Silva/ Martinho Oliveira (Peugeot 208 R2), a 3m10,0s; 6.º António Oliveira/ Filipe Carvalho (Peugeot 205 GTI), a 3m27,4s; 7.º Henrique Mendes/ Pedro Santana (Nissan Micra), a 4m45,3s.